Começar a trabalhar com produção cultural
Escrita em 23/008/10 por admin
Artigos e ColunasSugerir como alguém pode começar a trabalhar com produção cultural não é uma tarefa muito simples. É preciso entender que nem todo mundo está no mesmo momento de vida. Uma pessoa de 16 anos provavelmente irá pensar em trabalhar no backstage de um show. Uma pessoa de 30 anos talvez queira gerenciar a carreira artística de um músico. Uma pessoa de 50 anos pode se mostrar interessada em trabalhar com projetos culturais mais amplos, com impacto social. Enfim, há muitas situações diferentes, que variam conforme a idade, situação financeira, localização geográfica, grau de escolaridade, etc.

É comum se pensar em trabalhar com produção cultural quando se é jovem. E aqui não estou me referindo a juventude somente como período biológico estabelecido, mas como um estado de espírito. A pessoa jovem quer viver experiências intensas e trabalhar com a cultura é uma experiência intensa. Eu sempre me emociono quando termina um show ou um espetáculo de teatro em que trabalhei na produção. Eu sei que aquela produção que eu realizei passou a fazer parte da vida de muitas pessoas. E tornou a minha vida melhor.

Mas esse estado "jovem" de ser traz também muitos questionamentos. O adolescente que está cursando ensino médio começa ouvir sua família falar que ele deve "tomar um rumo na vida" com a conotação de que o tal rumo é trabalhar para ganhar muito dinheiro. O "jovem" que não aceita que a sua vida deve ser somente casar, ter filhos, ser refém de expectativas de sucesso (o que é sucesso?) dos grupos sociais com quem convive, também começa a pensar que faz sentido escolher uma atividade que lhe dê mais liberdade para viver a sua vida. O "jovem" que é músico, ator, dançarino, escritor, malabarista, poeta, que curte cinema, moda, arte da gastronomia, design, iluminação, que não aceita discursos equivocados de que "cultura não dá dinheiro", fica horas pensando em como conciliar a vontade de estar no meio artístico e sobreviver dignamente.

Para todos estes jovens, a primeira sugestão é: busque informações detalhadas sobre o que você quer fazer.

Há muitas formas de se fazer isso. As mais conhecidas são "dar um google" com palavras-chaves, pesquisar em livros e revistas, entrevistar pessoas que trabalham na atividade que você pretende fazer e por fim, a mais arriscada, que é começar a fazer um estágio ou trabalhar por um período em algo que você desconfia que é o que você procura, mas que ainda não tem bem certeza.

Além de buscar informações sobre o que você quer fazer, acho importante que paralelamente se façam outros dois movimentos importantes: autoconhecimento e aprender a gestionar sua carreira profissional. Com o autoconhecimento, você poderá perceber quais são as "trocas" que você necessita no seu momento atual de vida. Pode inclusive "projetar" cenários de sua vida para o futuro. Aprendendo a gerenciar sua carreira profissional, você poderá realizar ações que alavanquem o seu desenvolvimento profissional.

Então, a coisa toda pode funcionar mais ou menos assim: você começa a se autoconhecer e ver se realmente quer trabalhar com a cultura; na medida que isso vá ficando evidente, você começa a buscar informações sobre como trabalhar nesta área. Na medida que começa a trabalhar nesta área, começa a aprender a gerenciar sua carreira para que o trabalho lhe proporcione alcançar os seus objetivos.

É importante pensar ainda o seguinte: por mais que você pesquise e planeje, você nunca terá a garantia de que irá dar certo. Mas se não pesquisar e planejar, se não se aplicar para que as coisas aconteçam, nunca elas vão acontecer.


Alê Barreto tem 38 anos. É administrador, produtor cultural independente, palestrante e gestor de conteúdo também dos blogs Alê Barreto, onde divulga seu processo de trabalho, e Encantadoras Mulheres, um blog que tem por objetivo reciclar valores machistas.)

Comentários:
 
 Conhecer
Escrita em 09/009/10 por Guest
Acho também interessante conversar com pessoas do meio, ou ler sobre suas experiências. Às vezes pode-se fazer uma idéia errada e tirar dúvidas e ter certas coisas esclarecidas ajuda muito.

 interessante
Escrita em 09/009/10 por Guest
Adorei o texto, pois era o que eu precisava para ter noção de como começar um trabalho nessa área!

 Cultura em qualquer idade.
Escrita em 18/009/10 por Guest
O texto de Alê Barreto sugere conhecer a produção cultural por idade, onde o interesse maior de uma pessoa de 50 anos seria trabalhar com projetos mais impactantes.
O autor parou na idade de 50 anos, como se os maiores de: 50; 60, parassem de produzir culturas.
O jovem para Barreto, deve experimentar a vida de forma mais intensa, explorar seus potenciais artísticos como forma de viver plenamente.
O estágio formaria a ponte que levaria o jovem ao seu autoconhecimento, levando-o a tomar decisões para o seu futuro profissional. Ele fala em: "viver com dignidade", para isso, o jovem ter que satisfazer o pessoal e o profissional.
Em fim, o autor não questiona a produção cultural, na terceira idade, talvez por ter 38 anos, já ter uma vida de sucesso profissional, não lhe sobrando tempo para observar os idosos. Estes, muitas vezes, descobrem seus dons artísticos (suprimidos pela necessidade de sobrevivência, imposta pelo capitalismo) aos 60 anos, quando se aposentam.

 Sobre produção cultural e a idade
Escrita em 25/10/10 por Guest
Prezados leitores, muito obrigado pelos comentários.

Não tive intenção de estabelecer estereótipos para cada idade, mas sim dar alguns exemplos. Acredito que alguém pode em qualquer idade trabalhar com o foco que achar mais adequado aos seus propósitos de vida.

E gostaria de ressaltar que respeito as mais diversas interpretações dos meus textos, mas nunca mencionei que os maiores de 50, 60, etc. parassem de produzir culturas. Acredito inclusive que pessoas de idades mais maduras que a minha podem explorar seus potenciais artísticos melhor do que pessoas como eu de 38 anos ou até melhor do que pessoas mais novas.

Minha postura de vida é que estou disposto a aprender sempre, com pessoas de quaisquer idades, noção já passada no capítulo 28 do meu livro "Aprenda a Organizar um Show", disponível de forma livre na internet.

Meu e-mail para contato é alebarreto@gmail.com

Um grande abraço e muito obrigado,

Alê Barreto

Outras notícias e comentários adicionais estão disponíveis em: Fazer e Vender Cultura
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores.