Para entrar no clima sem perder a pose
Escrita em 12/007/10 por admin
TecnologiaAqui abaixo dos trópicos, as mudanças climáticas podem ser traduzidas como aquecimento global mesmo. Sabemos disso: é quente!

Ainda mais quando os convidados chegam para o evento abafando - em ternos, vestidos longos e justos, saltinhos 20, blush, gel – aquele ritual nosso de cada efeméride, e está… quente. Nesse caso, a caminhada entre o automóvel e o local da festa, por menor que seja, já insinua as primeiras possibilidades de derretimentos químicos e alguma irritação do espírito. O consolo, pensarão eles, “é que lá estará fresco e arejado”. Mas estará?

A preocupação com a climatização de ambientes é um item relativamente recente na checking list da produção cultural. Mas, à medida que o calor aumenta, também se ampliam as situações de utilização de meios para compensá-lo, tornando o que era luxo, um hábito popularizado, indicador de desempenho no setor de serviços.

Com o crescimento da demanda e os avanços tecnológicos, multiplica-se também a variedade de recursos disponíveis.  



Para áreas abertas


Quando o evento acontece em áreas totalmente abertas, os cuidados devem ser redobrados, pois não é possível recorrer ao tadicional ar condicionado. Nesse caso, a solução encontrada na maior parte das vezes são os climatizadores por aspersão de água. Não se assuste com o nome: eles são aqueles ventiladores que possuem bicos ejetores de água, uma ideia concebida para, literalmente, refrescar o ambiente. Dependendo da quantidade de aparelhinhos utilizada, pode-se conseguir redução da temperatura em até 12 graus.

Também conhecida como climatização evaporativa, utiliza módulos de alta pressão e se dispõe a não alterar a estrutura e a decoração do ambiente. A água chega aos ventiladores através de uma mangueira ligada a uma bomba de funcionamento contínuo. Para um evento de mil metros quadrados, por exemplo, 10 ventiladores industriais de um metro de diâmetro seriam necessários – cada um cobrindo uma área de 100 metros, com seis bicos ejetores em cada unidade. Um dos proprietários da empresa paulistana Clima System, especializada em climatização de eventos, Carlos Augusto avalia que tal estrutura custe ao produtor do evento cerca de R$ 4 mil: “Isso é para a estrutura instalada e o operador durante o evento”. Fora da cidade-sede da empresa, o valor tem acréscimos.



Em áreas cobertas


Quando existe cobertura, aí a história muda. Para os eventos realizados em espaços abertos, mas com áreas fechadas (como as populares tendas, de eventos de moda, feiras e festivais), a utilização do ar condicionado industrial é, sem dúvida, a única alternativa adequada.

Para mil metros quadrados, seriam necessárias cerca de 10 máquinas de ar condicionado de 15 TR cada (num total de 150 TR ou 18 milhões de BTUs). “Cada máquina pesa em torno de 650 quilos. Elas ficam instaladas do lado de fora do espaço fechado em questão e possuem um duto que entra no local e joga o ar gelado para seu interior”, explica Augusto. A quantidade de TRs varia de acordo com a metragem do evento. “Os aparelhos podem ser ter 5 a 30 TR”, continua. Com técnico responsável à disposição no evento e toda a logística operacional, o ar geladinho, neste caso, custa em torno de R$ 18 mil. Há 10 anos no mercado, a Clima System já climatizou eventos para empresas como Petrobras e Avon, passando por feiras de automóveis, leilões de gado e festivais literários, num painel bastante diversificado de atuação.

Com know-how no ramo de climatização de eventos desde 1978 no Rio de Janeiro, a DRB é opção para os cariocas: já forneceu seus serviços para eventos variados, desde missa campal a estandes de feiras, programação em museus e atividades no Forte de Copacabana. Sua carta de clientes é variada, da TV Globo à Ambev, passando pela Dueto Produções e a Motorola. Conhecida por climatizar edições do Fashion Rio, a Poliservice é opção para produtores do Rio e de São Paulo.





POLISERVICE
Em SP: 11 4341-6675
No Rio: 21 2586-6379
CLIMA SYSTEM
SP: 11 2692-0279
DRB
RJ: 21 2560-8990




Outras notícias e comentários adicionais estão disponíveis em: Fazer e Vender Cultura
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores.